Impressora térmica: entenda a tecnologia por trás da impressão térmica

Impressora térmica: entenda a tecnologia por trás da impressão térmica

A impressora térmica garante identificação e rastreabilidade para os itens disponibilizados no mercado, em especial empresas do segmento de varejo, por meio do registro dos preços em produtos nas gôndolas, lote, data de fabricação e até mesmo os dados do operador que participou de seu processo de produção.

Desse modo, informações indispensáveis e em conformidade com as normas do Código de Defesa do Consumidor ficam mais acessíveis, não podem ser apagadas ou denegridas, garantindo ainda a segurança dos dados disponibilizados.

Em um recall de veículos, por exemplo, essa rastreabilidade é imprescindível para garantir a identificação de todos os itens que demandam reparo. Ela está presente em chassis, vidros e vários componentes, desde a saída da fábrica.

Também pode aumentar a efetividade do controle em fases do processo produtivo, na gestão da cadeia de suprimentos e em outras situações que demandam a identificação de bens. Achou essa solução importante para o seu negócio? Continue a leitura deste post!

O que é uma impressora térmica?

Como o próprio nome já diz, é um equipamento térmico, ou seja, que utiliza o calor para transferir as informações do ribbon — fita plástica recoberta com resina ou cera — para um papel, ou a impressão em papel termossensível, também chamado de termocrômico, dotado de uma substância química que muda de cor ao ser aquecido.

A sua principal função é produzir etiquetas e rótulos para a identificação em fases do processo produtivo ou após sua disponibilização ao mercado, mas também é usada na impressão de cupons, extratos bancários, tíquetes de entrada em estabelecimentos etc.

A impressora recebe o comando e os dados a partir de hardwares, computadores ou dispositivos móveis, por exemplo. O desenho e o leiaute da etiqueta são elaborados nessa etapa, sendo posteriormente transpostos para o papel. Assim que a informação é impressa, ela também é registrada em um software instalado no equipamento.

Como funciona uma impressora térmica?

Com o comando para a impressão, o papel é encaminhado para a zona de aquecimento da impressora térmica, um componente chamado de “cabeça térmica”. Nesse processo são aquecidos apenas locais específicos, áreas onde os pontos ficam pretos até que todo o conteúdo esteja finalizado em forma de imagens, palavras, caracteres ou códigos de barras.

Acontece como num mapa binário, em que uma informação é caracterizada pela ausência de cor enquanto a outra é representada pela cor preta. A impressora térmica tem algumas particularidades em termos de uso e aplicação relacionadas ao insumo e ao papel. Logo, existem dois tipos de impressão térmica:

Indireta

O produto presente no ribbon é transferido para a superfície a ser inscrita. É indicada para demandas de maior durabilidade, com mais manuseio dos usuários ou exposta a intempéries.

Direta

A gravação acontece no próprio papel, não sendo necessário nenhum outro insumo que não seja o papel termossensível.

O local onde o leiaute será aplicado também é importante. Em fases da cadeia logística, por exemplo, é preciso identificar os produtos em suas respectivas caixas, geralmente fabricadas em papelão. Já numa empresa automobilística, essa identificação precisa estar presente nos pneus, um produto feito de borracha.

A impressão térmica garante essa adequação, uma vez que pode ser aplicada em diferentes materiais. Além do local, existem muitas variações a serem consideradas, como o tamanho da etiqueta, a gramatura, o tipo de cola e o papel utilizado, tudo relacionado à temperatura, umidade e demais fases de produção a que o produto poderá ser exposto — banhos, picos de calor e de frio.

Existem equipamentos que suprem demandas menores, enquanto algumas empresas precisam de muitos metros quadrados de impressão. Ao escolher o equipamento, é preciso considerar esse volume de impressão para não comprometer o desempenho da máquina. A disponibilidade em uma planta térmica é muito maior que a de uma planta óptica.

Por isso, a impressão térmica é ideal para segmentos que demandam identificação em muitas unidades de produto, como em uma linha de montagem de veículos. Imagine se, nessa fase, o processo apresentasse um gargalo. Isso resultaria em atraso em todo o restante da produção, gerando ociosidade para a planta e os profissionais envolvidos.

Qual é a tecnologia por trás da impressão térmica?

A impressora térmica é um equipamento mais robusto. A qualidade da impressão está associada à qualidade do insumo utilizado, à tecnologia embarcada e à sua calibragem, ou seja, a configuração acertada na máquina.

Ela funciona por meio da conexão com a rede wireless, sendo muitas vezes portátil ou por cabeamento de rede — nesse caso, a impressão deve ser comandada a partir de um sistema, um SAP ou ERP (Enterprise Resource Planning).

A solução demanda as mesmas configurações das demais impressoras. A diferença é que ela tem menos features. Uma impressora comum tem muito mais caracteres e pontos de cor, enquanto na impressora térmica a cor preta é padrão, apesar de as de ribbon poderem dispor de maior variedade de cores e de materiais.

Além disso, o computador em que a impressora térmica estará ligada não necessita de configuração especial. As especificações para manter uma conexão seguem o padrão. Logo, ela suporta Windows, Android etc.

Quais são os tipos de impressoras térmicas?

Existem vários fabricantes de impressoras térmicas. Isso influencia no tipo de linguagem que o equipamento utiliza para fazer a leitura das informações e sua configuração.

A migração de um equipamento para outro demanda um procedimento trabalhoso de adequação, já que os leiautes precisam ser redesenhados para emular — fazer a leitura e a conversão dos caracteres do computador para a impressão, em imagem, letras, números ou código de barras.

Assim, se a empresa tem uma máquina em EPL e quer migrar para ZPL, será preciso alterar esse leiaute. Isso é feito apenas uma vez no setup de troca.

Quais são os benefícios de utilizar a impressão térmica?

As principais vantagens abrangem a durabilidade e a qualidade das propriedades de impressão — as impressões térmicas são mais nítidas e o equipamento garante a manutenção das características pré-configuradas pelo sistema.

A impressora térmica usa etiqueta com autoadesivo — material que não pode ser processado em equipamentos usuais — e suporta um volume superior de trabalho em comparação com as máquinas comuns. Além disso, a durabilidade dos resultados e a usabilidade da solução são superiores. O equipamento térmico é muito mais robusto que o óptico.

É um equipamento ágil e silencioso, sendo mais vantajoso para o varejo, não necessitando de cartucho ou toner. Não produz muitos resíduos, sendo mais benéfico para a natureza, e é energeticamente econômico.

A impressora térmica também não demanda manutenções constantes, a menos que o ambiente onde a máquina tenha sido instalada seja hostil — com poeira, umidade e calor maiores que o usual. Além do mais, os insumos utilizados precisam ser adequados, porque não adianta manter um equipamento de boa qualidade se os suprimentos são inferiores. Isso também afeta muito a vida útil da impressora.

Agora, que você compreende a superioridade da impressora térmica, que tal assinar a nossa newsletter e conhecer novas soluções para o seu negócio?

Compartilhe esse post!