Afinal, como fazer inventário de estoque? Veja 4 melhores práticas!

Afinal, como fazer inventário de estoque? Veja 4 melhores práticas!

O inventário de estoque é de grande importância para o negócio, já que se relaciona ao levantamento de bens e aos seus devidos valores, além de garantir uma alta liquidez para a empresa. Contudo, pode ser difícil estabelecer a melhor estratégia para a condução desse processo. Isso porque o mau gerenciamento pode gerar retrabalho e estresse em toda a equipe.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para que você saiba como fazer inventário de estoque e quais são as melhores práticas. Confira!

1. Categorize os produtos

Para que o seu inventário seja organizado de forma eficiente, é uma ótima medida categorizar devidamente os produtos. Com esse método, fica mais fácil realizar a contagem dos itens e dos seus respectivos valores, além de simplificar o processo de encontrar as informações.

Sendo assim, é uma boa ideia categorizar os produtos de acordo com cada finalidade e característica. Por exemplo, separar os itens importados para que o controle de estoque seja otimizado.

Além disso, para fugir das classificações genéricas, é possível estabelecer subcategorias. Desse modo, em vez de separar todos os importados por essa única característica, você pode dividir em tópicos, levando em consideração um número maior de atributos em comum.

2. Escolha o melhor horário

Organizar o inventário de estoque pode se tornar um trabalho ainda mais difícil se essa tarefa for realizada em um momento pouco adequado. Dessa forma, é essencial evitar aqueles períodos do dia nos quais há um grande fluxo de mercadorias na sua companhia.

Isso pode, inclusive, tornar a sua contagem defasada, já que você fará essa atividade justamento no momento em que mais produtos vão chegando à empresa. Assim, você terá um enorme retrabalho para enfrentar.

Portanto, o mais recomendado é cuidar do inventário antes da abertura do expediente ou após o encerramento, pois você terá a certeza de que a sua contagem corresponde à realidade da organização.

Caso não seja possível esperar o fim do expediente, é uma boa medida trabalhar com um número menor de produtos, priorizando aqueles que estejam mais segmentados. Essa concentração em um grupo similar garante um maior nível de controle na hora de complementar o inventário geral.

3. Faça uma contagem minuciosa

O inventário de estoque se relaciona, principalmente, à contagem dos produtos — o que faz dessa etapa um passo fundamental em todo o processo. Uma boa medida é que todos os itens sejam contados um a um, para evitar erros e assimetrias nos valores.

Isso pode ser feito com a contratação de uma solução tecnológica eficiente de identificação e rastreabilidade. Investir nessa ferramenta vai garantir um nível superior de precisão, tanto na contagem como na conferência dos valores dos produtos.

Além disso, é essencial prestar atenção às recontagens. Dessa maneira, você vai cruzar os dados e obter maior confiabilidade.

4. Padronize os registros

O inventário só cumprirá plenamente os seus objetivos se conseguir fornecer padrões identificáveis, tornando mais fácil o acompanhamento geral dos produtos. Nesse sentido, podemos dizer que uma ótima solução é o desenvolvimento de etiquetas personalizadas, diferenciando os seus itens de forma eficiente.

Além disso, é essencial que os registros do seu estoque contenham o maior número possível de informações sobre os itens que o compõe. Desse modo, fica mais fácil garantir que os gestores tenham acesso aos dados com agilidade, sempre que surgir a necessidade.

Os registros também devem ser constantemente atualizados e mantidos sob controle, controlando fatores como o fluxo de entrada e saída. Com isso, é possível determinar padrões logísticos mais eficientes.

Como pudemos ver no post, a gestão de inventário de estoque é beneficiada pela aplicação de ações estratégicas e o auxílio de ferramentas tecnológicas de ponta, devidamente adequadas às suas necessidades.

Agora que você já sabe como fazer inventário de estoque, é importante definir uma periodicidade. Realizar o processo quinzenalmente é recomendável para empresas que não lidam com produtos perecíveis, por exemplo. Contudo, se a sua empresa tem um fluxo muito intenso de vendas, pode considerar a opção semanal.

Gostou do artigo e quer compartilhar a sua opinião conosco? Então, deixe um comentário e mostre o seu ponto de vista sobre o assunto!

Compartilhe esse post!