As inovações da impressão térmica para o setor industrial

Impressão Térmica

As inovações da impressão térmica para o setor industrial

O mercado de impressão térmica é robusto, mas segue uma jornada bastante objetiva, com foco em eficiência. Por isso, as soluções de hoje vão perdurar por certo tempo no mercado, cumprindo com as demandas de todas as empresas. No entanto, mesmo assim, inovações estão sempre sendo desenvolvidas e testadas. E você, sabe quais delas podem revolucionar o seu processamento de informações?

Comumente utilizadas para impressão de etiquetas, códigos de barra, notas fiscais, etiquetas de remessa e marcadores de localização, as impressoras térmicas são um recurso essencial para muitas empresas.

Pela sua qualidade, durabilidade e versatilidade, a impressão térmica se encaixa como recurso para um mercado cada vez mais exigente. Afinal, engana-se quem pensa que a impressão não é essencial para uma empresa.

Dependendo do processo, sua embalagem ou sua etiqueta pode sofrer danos irreversíveis que mancham a imagem da sua marca e dificultam processos básicos, como o rastreamento do código de barras, por exemplo.

No mercado atual, muitos negócios optam pelo outsourcing do serviço como uma forma de aliar custos menores e uma execução de alta qualidade. Ainda assim, é sempre bom ficar de olho em tudo de novo que esse nicho de negócios apresenta.

Neste conteúdo, vamos deixar você inteirado sobre as principais novidades do mercado de impressão térmica. São soluções inovadoras, algumas até mesmo inéditas no Brasil, capazes de contribuir não apenas com suas embalagens e etiquetamento, mas com a gestão do seu negócio.

Quer saber mais? Continue a leitura conosco!

Impressão térmica com reação química: controle tudo sobre um produto

Etiquetas são elementos essenciais da cadeia de produtos. São componentes que trazem incontáveis informações a quem quiser: ao consumidor, ao varejista, ao distribuidor e ao fabricante. Ainda assim, costumam ser elementos estáticos de um produto: sem um claro indicador visual que indique alguma condição sua, como perecibilidade, temperatura, entre outros.

Por isso, o mercado de impressão térmica está lançando um tipo de etiqueta revolucionário.

Nessa novidade, a etiqueta conta com um dispositivo capaz de reagir quimicamente a uma condição predeterminada, como temperatura (altas ou baixas), umidade ou mesmo tempo.

Portanto, imagine: na prateleira de uma farmácia, você vê uma caixa de remédios com uma etiqueta azul. Essa cor representa sua validade. Ao ponto que ela mudar de cor automaticamente e se tornar, por exemplo, vermelha, haverá uma indicação visual (portanto mais fácil) de que a validade expirou e que o produto não é indicado para comercialização.

Um auxílio logístico

A solução de impressão térmica com dispositivo químico ainda pode auxiliar grandes redes de distribuição de produtos.

Na maioria dos casos, os fabricantes enviam seus produtos para centros de distribuição estrategicamente localizados, que recolhem essas cargas e as redistribuem pela região. Normalmente, impera a regra do first in x first out. Ou seja, o primeiro produto que chega ao armazém deve ser o primeiro a sair.

Dessa forma, é possível manter um fluxo que contribua com sua validade, sem perdas ou gargalos de carga pelo processo.

No entanto, alguns armazéns são realmente muito grandes: são milhares, senão milhões, de produtos chegando e saindo constantemente. Realizar esse controle de forma efetiva nem sempre é possível. No entanto, a etiqueta com dispositivo químico pode ser a solução.

Assim, com ela, é possível controlar os produtos através de sua própria cor, gerenciando melhor o seu despacho.

Maior confiabilidade na integridade do produto

A etiqueta também pode verificar a eficiência da refrigeração ou aquecimento de um produto. Assim, se o processo falhar, a etiqueta muda de cor de forma definitiva — ou seja, não volta mesmo se a temperatura for restabelecida.

Dessa forma, por exemplo, é possível garantir que um comerciante não compre carnes cujo transporte refrigerado sofreu alguma avaria temporária, o que pode ser prejudicial para sua qualidade do consumo.

Eficiência na esterilização de equipamentos hospitalares

As etiquetas de impressão térmica com dispositivo de reação química também podem ser utilizadas por hospitais e centros clínicos.

Nesses locais, é comum que vários instrumentos e equipamentos necessitem de esterilização. No entanto, nem todo processo é igual e alguns equipamentos necessitam de temperaturas diferentes para serem 100% limpos.

Assim, é possível aplicar as etiquetas nesses instrumentos, com “níveis de cores” diferentes que indicam cada grau de esterilização atingido, conforme sua temperatura. Dessa forma, o responsável terá maior segurança da eficiência do processo.

Soluções de rastreamento com impressão térmica

Etiquetas capazes de rastrear um produto não são uma novidade. Há incontáveis tipos, geralmente com um chip, que emite e recebe um sinal. Assim, a pessoa ou empresa interessada consegue rastrear sua localização.

Estas etiquetas são desenvolvidas com uma tag que permite a identificação por radiofrequência ou RFID (do inglês “Radio-Frequency Identification“) que possibilita a identificação e rastreio por meio de sinais de rádio. É uma alternativa aos códigos de barra que fornece a identificação do produto em distâncias maiores e ainda permite verificar o trajeto do produto.

Porém, suas capacidades não vão além disso. E para piorar, se trata de uma alternativa um tanto quanto maçante (pois são etiquetas individuais, que dependem de aplicação por unidade), além de cara.

Outro tipo é o próprio código de barras. Mas em seu formato convencional, ele funciona mais como uma identificação da fabricante, algo que não dá informações aprofundadas sobre o produto.

Em conjunto com a Markem-Imaje, a TR Service disponibiliza uma solução melhor (e inédita no Brasil) para essa função.

Um equipamento, que pode ser integrado ao sistema de gráfica do código de barras, cria micro-imperfeições (não-visíveis a olho nu) em cada código. São detalhes que não influenciam em nada o seu visual, mas que, quando analisadas microscopicamente e de forma combinada, mostram uma identidade única do produto.

A solução ainda mapeia 5 pontos de imperfeição de cada código de barras, gera um algoritmo e o grava na nuvem. Assim, é possível criar algo como um “CPF” do produto.

Então, com uma leitura do código de barras (que pode ser feita pelo próprio smartphone), a pessoa tem acesso a todo um histórico do produto desde sua fabricação até sua comercialização ao consumidor final.

Tudo isso sem necessitar de modificações na impressão da caixa ou alguma etiqueta adicional.

Essa solução pode ser utilizada para reforçar seu controle sobre a cadeia de distribuição e consumo de um produto. Além disso, serve como um apoio a questões legais.

Por exemplo, se o registro do código de barras não constar no banco de dados da empresa, é possível identificar um produto pirata. Ou, dependendo de suas limitações, se o produto pode ou não ser comercializado no país.

A TR Service está por dentro das tendências e inovações pois é uma empresa interessada em fazer o mercado, cada vez mais, evoluir. Por isso, é a parceira ideal para o outsourcing de impressão térmica para sua empresa.

Quer saber mais sobre como é trabalhar conosco e quais inovações podemos agregar ao seu processo? Converse conosco!

Compartilhe esse post!